Somos os novos dinossauros

baixe o zine aqui

A grande tarefa que se coloca no antropoceno, me parece, é a de desaprender a viver — e depois, se der tempo, aprender a viver de outros modos. Para viver no antropoceno é primeiro preciso morrer, como sugere Roy Scranton [4]. Despedir-se das certezas e seguranças, abandonar as ilusões e privilégios. Soltar a mão da borda da piscina. Questionar tudo e olhar debaixo dos tapetes, encarando a sujeira. Assumir que foi você que sujou, e se responsabilizar. Não é tarefa fácil para nós, tão acostumados ao mundo do jeito que sempre foi. Nós, que vivemos numa época em que parecia que o capitalismo funcionava — para nós, tão bem acomodados no 30mo andar da penthouse, no terraço do edifício da estratificação social. “Estranhar, desnormalizar o que está tão entrelaçado à experiência de viver no Brasil, implica um trabalho interno profundo de cada um” [5], diz Eliane Brum. Jerá Guarani diz a mesma coisa de outro jeito: “Tornar-se selvagem não é algo que pode acontecer rápido, de um dia para outro, mas algo que implicaria momentos de muita dedicação e de muito trabalho por parte de vocês, não indígenas” [6]. Estranhar e desnormalizar os modos de existir até agora praticados pelo humano. Tornar-se pelo menos meio selvagem [7] (essa é a tarefa. E não escrever esse texto).

Leia o texto completo no zine Fuço. O zine Fuço é composto pelo texto escrito para a disciplina O Antropoceno – Abordagens Transdisciplinares, oferecida pelo IEB-USP, no segundo semestre de 2020 — ano I da pandemia.

Escrevo, planto, estudo, viajo. Falo com bichos, abraço árvores, e vice-versa.

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Alessandra Nahra

Alessandra Nahra

Escrevo, planto, estudo, viajo. Falo com bichos, abraço árvores, e vice-versa.

More from Medium

SBOMs are the Gifts That Keep on Giving.

Mendel Letters 58 — Patterns

Max distance estimation for cross country flying

How to Record BlueJeans Meeting on Your Desktop — 6 Methods